Fontes de Luz – Uma estética em transformação

382_161109_-_Fontes_de_Luz_2_aprovado_original

Assim como em muitas residências, muitos espaços têm historicamente contado com lâmpadas incandescentes e alógenas para a iluminação, entregando temperaturas de cores quentes e reproduções de cores fortes, algo tipicamente associado a um culto religioso. A capacidade de dimerizar todas as luzes de um espaço continua sendo algo absolutamente essencial e até mesmo o uso de lâmpadas LED por designers para serem perfeitamente controladas nestes locais.

Atualmente, projetos de retrofit recorrem com frequência ao uso de LED com o objetivo de reduzir os custos com eletricidade. Além disso, lâmpadas incandescentes já não podem mais ser vendidas no Brasil.

Os designers de iluminação estão, de fato, chegando a um acordo de que a iluminação LED é o caminho do futuro.

Definitivamente, podemos garantir que as lâmpadas LED estão ficando melhores a cada dia. Em novos projetos, elas estão sendo cada vez mais utilizadas em todo espaço religioso. Com elas, é possível garantir a obtenção de uma cor cuidadosamente estudada e planejada. Muitos fabricantes têm rotineiramente testado fontes e controles para garantir o desempenho esperado, mas os controles podem somente executar uma função até os limites da capacidade de escurecimento e cor de uma lâmpada. Assim, a validação da fonte de luz e o controle operacional são passos importantes no processo de concepção.

 

Para além do santuário – A luz é importante em todos os espaços

Apesar de a iluminação arquitetônica e os seus controles serem assuntos críticos quando se trata de um santuário, uma comunidade religiosa depende fortemente dos outros espaços do local, quando não está sendo realizada uma celebração.

Nestes espaços – área técnica, áreas de encontro, quartos comunitários, banheiros, salas de aula e reunião – a eficiência energética, o controle automático e a flexibilidade podem ser os elementos mais críticos do projeto de iluminação. Assim, utilizando fontes de luz altamente eficientes em áreas menos significativas arquiteturalmente, os designers podem ter a liberdade de utilizar fontes alógenas nas áreas mais importantes do espaço religioso, enquanto ainda conseguem atender as regras da construção do edifício.

 

Banheiros

Simples sensores de presença na parede podem ser utilizados tanto com lâmpadas fluorescentes de alta eficiência quanto de LED, para garantir que as luzes se apaguem quando o espaço estiver vazio. Este é um valioso método de eficiência energética em locais que são utilizados muitas vezes em um curto espaço de tempo, mas ficam durante grandes intervalos.

 

Espaços comunitários e de multiuso para jovens

Estes espaços podem abrigar absolutamente tudo, desde atividades de grupos de jovens até feiras e outros eventos beneficentes.

Com uma alta eficiência energética, luminárias fluorescentes com controles de iluminação flexíveis podem ser a chave para que as necessidades de diferentes públicos sejam atendidas. Sensores de presença combinados com os sensores de luz natural em espaços com grandes janelas podem garantir a luz constantemente em níveis adequados, sem excesso de iluminação da área e desperdício de energia elétrica.

Além disso, o escurecimento e o controle das cortinas podem ser especialmente importantes em locais frequentados por jovens, onde apresentações audiovisuais são bastante comuns.

 

Áreas Técnicas

As áreas técnicas de um templo religioso são áreas de negócios e é importante ter isso em mente. Reuniões, preparações das celebrações, conferências privadas, almoços e jantares podem ocorrer nestes locais.

E, mais uma vez, a redução da potência em luzes fluorescentes e de LED em combinação com sistemas de controle podem ser utilizados para gerir de forma eficaz a iluminação destes espaços e mesmo assim, entregando iluminação de qualidade e o escurecimento necessário para qualquer atividade de apoio.

Fonte: Revista Lumière, edição 221